Resultados para 'Psicologia'

Sobre o Ceticismo by Carl Sagan

Carl Sagan

Carl_Sagan_Planetary_Society

O que é ceticismo? Não é nada muito esotérico. Nós o encontramos todos os dias. Quando compramos um carro usado, se formos minimamente inteligentes, nós exercitaremos pelo menos um mínimo de atitudes céticas – se nossa formação escolar tiver deixado alguma coisa. Você pode dizer “este sujeito parece honesto. Eu vou acreditar em tudo que ele disser”. Ou você pode dizer “bem, eu ouvi dizer que às vezes acontecem pequenas fraudes na venda de um carro usado, talvez sem o conhecimento do vendedor”, e aí você faz alguma coisa. Você chuta os pneus, abre as portas, olha sob o capô (você pode fazer tudo isso mesmo se não souber o que deveria estar sob o capô, ou pode trazer um amigo com queda para mecânica). Você sabe que algum ceticismo é necessário, e você entende por quê. É desagradável que você talvez tenha que discordar do vendedor ou lhe fazer perguntas que ele não queira responder. Há ao menos um pequeno grau de confronto interpessoal envolvido na compra de um carro usado e ninguém diz que isso seja especialmente agradável. Mas há uma razão boa para ela – porque quem não usar um mínimo de ceticismo, quem tem uma credulidade absolutamente irrestrita, provavelmente pagará algum preço por isso. Então se arrependerá por não ter feito um pequeno investimento em ceticismo.

*Havia no final deste artigo comentários sobre o filme What the bleep do we know – Quem somos nós – porém resolvi transformar tais comentários em um artigo para diminuir a extensão deste.

* Também enriqueci este artigo com vídeos da antiga e excelente série Cosmos. Interessante observar que no primeiro episódio há uma introdução da esposa de Carl Sagan, vale a pena conferir. Coloquei todos os episódios aqui, com exceção do segundo que se acha bloqueado por direitos autorais (Sic).

Etapas da psicoterapia estratégica com famílias

             dsc04759Etapas da psicoterapia estratégica com famílias (Lugão, 30/10/98)

1 – Iniciando com a família – a aliança terapêutica

A questão do rapport é básica. Em qualquer terapia, individual, casal ou família. Seja em uma “simples” entrevista ou numa situação de perícia é fundamental ser cordial com todos os presentes.

Noções básicas sobre a terapia de família

 Noções básicas sobre a terapia de família

image0022By Luganus in 23 de outubro de 2008 (Quinta-feira)

Textos básicos para crise em casos de suicídio

images-aTextos básicos para crise em casos de suicídio.

 (New – Vide Manual da OMS p/ prevenção – Genebra)

Veja também: posição do terapeuta e algoritmo.

 Prof. Celso Lugão da Veiga (Em 07 de outubro de 2007).

Sobre traumas, dissociações e EMDR

h

Certa vez, em meu consultório, filmei uma sessão com um cliente, e daí tive a sorte de rever o filme mais tarde e ver aquilo que na hora não vi… Enquanto ele relatava emocionado a sua tentativa de fuga dos seus agressores sexuais em sua infância, suas pernas tamborilavam no chão. Explicarei isto mais tarde…

Sobre a crise

downloadEntrevistando o professor de economia japonês, Itiro Kubota, convidado pela imprensa esloboviana.

 

Entrevistadora:

 Mikala Kusnetzoff Herzog.

 

 

 O que o senhor pensa sobra a atual situação da ordem mundial, a crise nos continentes, os imigrantes na Europa, a política na Alemanha, Suíça, França, o terrorismo, as guerras, a América do Sul, o Brasil… Enfim, este caminhar da humanidade?

Itiro Kubota responde:

Indignai-vos

 Charge-Servidao-e-submissao  Sobre a obra Indignai-vos…

Stéphane Hessel: “Os bancos estão contra a democracia”

Foi aos 93 anos de idade que Stéphane Frédéric Hessel (falecido aos 95 anos; viveu de 20 de outubro de 1917 até 26 de fevereiro de 2013), escreveu a obra Indignai-vos, na qual ele usa sua experiência dos anos de resistência ao nazismo e se baseia no programa elaborado pelo Conselho Nacional de Resistência. Este Conselho  propôs para a França libertada um conjunto de princípios e de valores sobre os quais se apoiaria a democracia após a Segunda Guerra Mundial.

Um dos princípios preconizados pelo programa era “o retorno à nação dos meios de produção monopolizados, fruto do trabalho comum, das fontes de energia, das riquezas do subsolo, das companhias de seguro e dos grandes bancos; a instauração de uma verdadeira democracia econômica e social, implicando a evicção dos grandes feudos econômicos e financeiros que comandam a economia”.

Copie o link e leia a obra na íntegra http://pt.slideshare.net/augustodefranco/indignaivos

Vida e Morte: entrevista sobre os temas da palestra.

  Caveira Luminosa     Vida e Morte: entrevista sobre os temas da palestra.

Em 11 de agosto de 2015, a convite do PROEPER foi proferida a referida palestra na Capela Ecumênica da UERJ. Dias após, o professor Celso Lugão concedeu uma entrevista para um grupo religioso (GR) que assistiu ao evento. Segue o registro de toda esta atividade. (Foram três palestrantes, sendo que cada um teve uns vinte minutos para expor argumentos, sendo o título do evento Vida e morte – Fim ou continuidade?).

 

 

 

Considerações sobre a função de ensinar

5

Sensei Marcio Fontes

Prof. Marcio Fontes entrevista o Prof. Celso Lugão da Veiga

Questões:

  1. Que teorias alicerçam a sua prática educativa?
  2. Como você interpreta o processo ensino-aprendizagem?
  3. Quais são os comportamentos, as atitudes, os instrumentos utilizados pelo professor em sala de aula?
  4. Como se relaciona com os alunos? Que linguagem é utilizada?

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)

01

Contribuição da professora Tamine Lean

Diante dos inúmeros casos e questionamentos acerca do que seja o Transtorno do Déficit de Atenção (TDAH), ou como é conhecido em inglês, ADD, ADHD ou AD/HD, importante se torna divulgar tal quadro, e recomendamos a leitura no site da Associação Brasileira do Déficit de Atenção.
Trata-se de um transtorno neurobiológico, que surge na infância e acompanha toda a trajetória de vida do indivíduo, sendo causado geneticamente, e cujos sintomas são: desatenção, inquietude e impulsividade!

O referido artigo chama a atenção para as causas genéticas que costumam surgir na infância e se manter na vida adulta.

Em adultos, além dos problemas de atenção, que dificultam seu cotidiano e trabalho, também a memória é afetada e estas pessoas costumam ser muito esquecidas, além da inquietude, da impulsividade, e do fato de não perceberem seus comportamentos e como estes afetam aos demais.