Resultados para 'Psicologia'

A responsabilidade social dos cientistas: porque a epistemologia é importante

A responsabilidade  social dos cientistas ou … Porque a epistemologia é importante by Prof Celso Lugão

Radithor

Radhitor – água radioativa

Hans Jurgen Eysenck, em uma de suas obras, disse que quando um cientista faz declarações fora de sua especialidade, estas têm o mesmo valor das declarações dos leigos, entretanto, por se tratarem de declarações feitas por um cientista, estas têm um impacto social enorme porque pegam emprestado o aspecto de credibilidade da ciência.
A este aspecto, se pode somar ainda as confusões e distorções causadas pela mídia, seja por um desconhecimento da atitude de vigilância epistemológica por parte da imprensa, seja por interesses financeiros ou mesmo escusos de certos órgãos de comunicação.

Radithor, foi um “elixir energizante” feito com água radioativa. Quando da descoberta da radioatividade os interesses comerciais e financeiros criaram vários produtos à base de radioatividade!!! (Adiante, no final deste artigo, faço uma análise de uma reportagem com o curioso título “Maconha é uma das substâncias mais seguras! Diz especialista”… Seria cômico, se não fosse trágico, para dizer o mínimo).

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on Twitter

Sobre a crise

downloadEntrevistando o professor de economia japonês, Itiro Kubota, convidado pela imprensa esloboviana.

 

Entrevistadora:

 Mikala Kusnetzoff Herzog.

 

 

 O que o senhor pensa sobra a atual situação da ordem mundial, a crise nos continentes, os imigrantes na Europa, a política na Alemanha, Suíça, França, o terrorismo, as guerras, a América do Sul, o Brasil… Enfim, este caminhar da humanidade?

Itiro Kubota responde:

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on Twitter

Indignai-vos

 Charge-Servidao-e-submissao  Sobre a obra Indignai-vos…

Stéphane Hessel: “Os bancos estão contra a democracia”

Foi aos 93 anos de idade que Stéphane Frédéric Hessel (falecido aos 95 anos; viveu de 20 de outubro de 1917 até 26 de fevereiro de 2013), escreveu a obra Indignai-vos, na qual ele usa sua experiência dos anos de resistência ao nazismo e se baseia no programa elaborado pelo Conselho Nacional de Resistência. Este Conselho  propôs para a França libertada um conjunto de princípios e de valores sobre os quais se apoiaria a democracia após a Segunda Guerra Mundial.

Um dos princípios preconizados pelo programa era “o retorno à nação dos meios de produção monopolizados, fruto do trabalho comum, das fontes de energia, das riquezas do subsolo, das companhias de seguro e dos grandes bancos; a instauração de uma verdadeira democracia econômica e social, implicando a evicção dos grandes feudos econômicos e financeiros que comandam a economia”.

Copie o link e leia a obra na íntegra http://pt.slideshare.net/augustodefranco/indignaivos

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on Twitter

Vida e Morte: entrevista sobre os temas da palestra.

  Caveira Luminosa     Vida e Morte: entrevista sobre os temas da palestra.

Em 11 de agosto de 2015, a convite do PROEPER foi proferida a referida palestra na Capela Ecumênica da UERJ. Dias após, o professor Celso Lugão concedeu uma entrevista para um grupo religioso (GR) que assistiu ao evento. Segue o registro de toda esta atividade. (Foram três palestrantes, sendo que cada um teve uns vinte minutos para expor argumentos, sendo o título do evento Vida e morte – Fim ou continuidade?).

 

 

 

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on Twitter

Considerações sobre a função de ensinar

5

Sensei Marcio Fontes

Prof. Marcio Fontes entrevista o Prof. Celso Lugão da Veiga

Questões:

  1. Que teorias alicerçam a sua prática educativa?
  2. Como você interpreta o processo ensino-aprendizagem?
  3. Quais são os comportamentos, as atitudes, os instrumentos utilizados pelo professor em sala de aula?
  4. Como se relaciona com os alunos? Que linguagem é utilizada?
Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on Twitter

Sobre traumas, personalidade borderline e a dinâmica do psiquismo

fantasy eye Sobre traumas, personalidade “borderline” e a dinâmica do psiquismo

Entrevistadora:  Professor, o senhor poderia explanar sobre o efeito dos traumas?

Prof. Celso Lugão: Bem, sempre que alguém é ameaçado, determinados processos entram em ação. A combinação de vários fatores, como a idade, o tipo de trauma, de ameaça, etc., com estes processos dá uma configuração particular a cada caso.

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on Twitter

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)

01

Contribuição da professora Tamine Lean

Diante dos inúmeros casos e questionamentos acerca do que seja o Transtorno do Déficit de Atenção (TDAH), ou como é conhecido em inglês, ADD, ADHD ou AD/HD, importante se torna divulgar tal quadro, e recomendamos a leitura no site da Associação Brasileira do Déficit de Atenção.
Trata-se de um transtorno neurobiológico, que surge na infância e acompanha toda a trajetória de vida do indivíduo, sendo causado geneticamente, e cujos sintomas são: desatenção, inquietude e impulsividade!

O referido artigo chama a atenção para as causas genéticas que costumam surgir na infância e se manter na vida adulta.

Em adultos, além dos problemas de atenção, que dificultam seu cotidiano e trabalho, também a memória é afetada e estas pessoas costumam ser muito esquecidas, além da inquietude, da impulsividade, e do fato de não perceberem seus comportamentos e como estes afetam aos demais.

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on Twitter

Uma crítica sobre os filmes e a apologia da maconha by Carolina Lago Obadia

Lago biscoito Antes de ir ao relevante tema desta monografia, apreciaria falar de Carolina Lago, Caró, que gera associações em meu cérebro como Caró Cora Coralina Lago… Ex aluna na UERJ, psicóloga e poetisa, maravilha de combinação, inteligente, pessoa especial, importante para esta humanidade, para este Brasil em tempos tão sombrios. Poetisa incrível, tem uma sensibilidade e um carinho para com o próximo e para com as palavras. Seus versos são fantásticos. Explora a palavra com zelo, com um humor e um respeito que contagiam o ouvinte, causam experiências estéticas gerando reflexões, mudando percepções e tudo isto com muita elegância.

Tive a oportunidade especial de ouvir vários… E, por ser capaz, competente, sensível e generosa isto permite-lhe exercer uma “doma” espontânea sobre as letras vivas dentro das palavras que cavalgam graciosamente surpreendendo com novas configurações e deliciando os ouvidos.

Carol, resolvi extrair algumas ilustrações de teu Facebook, e posto logo esta de Cora Coralina para te definir melhor, para quem não te conhece, segue o poema

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on Twitter

Insanidade

Definição de insanidadeA insanidade é a incapacidade de comunicar nossas ideias

Esta frase foi  extraída do filme “Veronika decide  morrer”, inspirado na obra homônima de Paulo Coelho, 1hora e doze segundos de filme, dita pelo personagem que seria um mestre sufi.

Então todos nós, em maior ou menor grau, somos insanos… Mas não confundam insanidade com perda de controle… Tem duas opções…  Controlar a mente ou deixar a mente controlar vocês.

Abaixo, segue…

A incrível entrevista com o professor Pensey Nathua Mann, nascido na Alta Eslobóvia (em 35/13/2018), que como todos deveriam saber fica abaixo da Média Eslobóvia.

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on Twitter

A hipnose natural e a importância do uso de metáforas significativas by Tamine Lean

Gestalt A hipnose é uma ferramenta importante e reconhecida no campo da prática psicoterápica, e seu manejo adequado pode ir além de auxiliar a reconhecer, e banir, os entraves que prejudicam o bem- estar. Além de atingir áreas “esquecidas”, com intuito de expressá-las e tornar possível sua elaboração numa nova perspectiva, permite, em consequência, a utilização do potencial do indivíduo, liberando as próprias alternativas de solução de diversas problemáticas psicológicas.

Esta autora utiliza a hipnose numa abordagem naturalista, na forma como é trabalhada por Milton H. Erickson, e este não se prende a procedimentos tradicionais, formais, como algo ritualizado, utilizando relógios ou a imagem fantasiosa do pêndulo, mas , ao contrário, procura devolver a Hipnose ao campo de utilização de mecanismos próprios do indivíduo, permitindo que habilidades naturais do ser sejam respeitadas e utilizadas.

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on Twitter